ϟ Erros e Reparos O-O¬ ‏

Erros dos livros

   Existem diversos tipos de fãs; os que nunca leram os livros, os que só os leram uma única vez, e aqueles que já perderam as contas de quantas vezes terminaram a leitura de um livro Potter. A cada nova leitura, nós somos capazes de reparar em novos detalhes e, algumas vezes, encontramos certas coisas estranhas… O que? Até eu erro, imagine, J.K.Rowling, ora!!!
   A nossa querida J. K. Rowling está imune a erros? Confira abaixo as falhas cometidas pela autora, e as respostas a diversas dúvidas que os fãs tinham e declaravam como erros da história!



Harry Potter e a Pedra Filosofal

Erros
Alguns pequenos deslizes que podem ter passado despercebidos…

Continuidade: Enquanto estavam sendo selecionados para as casas, Harry olha para o banco dos que serão selecionados, e há apenas três pessoas faltando para serem selecionadas. A Professora McGonagall? então chama o nome de mais quatro crianças.

Continuidade: Harry compra o livro “Mil Ervas e Fungos Mágicos”, mas mais tarde, o título muda para “Cem Ervas e Fungos Mágicos”.

Erro de fato: Na página 25, menciona que a cobra no zoológico piscou para Harry. Cobras não têm pálpebras, então é impossível para elas piscar.

Outro: No Expresso de Hogwarts, Hermione comenta que ela já fez “alguns feitiços simples” para praticar. Mas é estabelecido em outros livros que, assim que eles recebem as suas varinhas, bruxos menores de 17 anos não podem usar magia fora da escola. Sendo super inteligente como ela é (especialmente como uma primeiranista que não estaria disposta a arriscar uma expulsão), Hermione devia saber disso.

Correções
Aquelas dúvidas que os fãs sempre tiveram e sempre tomaram como erros da trama, são finalmente respondidas aqui.

Em “Harry Potter e a Pedra Filosofal”, nos é contado que Tiago Potter (o pai de Harry) era monitor quando ele estava em Hogwarts, mas em “Harry Potter e a Ordem da Fênix”, é Lupin (o lobisomem) que aparece como monitor. Como revelado no livro, cada casa tem um monitor e uma monitora, então ambos não poderiam ter sido monitores. [James nunca foi monitor; ele foi apenas Monitor-Chefe. De acordo com JK Rowling, não é necessária a honra anterior para ficar com a segunda].

Capítulo 6: O embarque na Plataforma 9 e ½, diz que Harry ficou em seu quarto. E Edwiges saía e entrava pela janela aberta. Alguns problemas com isso: nessa fase Harry ainda está dormindo no seu armário (e ainda é chamado de “seu armário” no começo do capítulo, e armários não tem janelas. [Depois da primeira carta de Hogwarts, que Tio Válter confisca, ele e Tia Petúnia deixam Harry ter o segundo quarto de Duda.]

Na página 99, diz que Harry e seus colegas têm aula de Astronomia as quartas-feiras à meia-noite. Mas na página 173 diz, “Quarta-feira à noite Hermione e Harry estavam sentados sozinhos na sala comunal, muito tempo depois de todo mundo ter ido para a cama. O relógio na parede bateu à meia-noite quando o retrato se abriu.” Eles deveriam estar na aula de Astronomia nesse horário. [Já que o dia muda à meia-noite, é possível que "meia-noite de quarta-feira" seja em referência a que a aula deve acontecer no que nós pensaríamos como terça-feira à meia-noite. Portanto, a cena da sala comunal, que se passou em uma noite de quarta-feira, teria sido a noite seguinte.]


Harry Potter e a Câmara Secreta

Erros
Alguns pequenos deslizes que podem ter passado despercebidos…

Continuidade: Dumbledore diz a Harry no fim que Lorde Voldemort é o último ancestral de Salazar Sonserina. Mas ancestrais estão no passado – ele quer dizer que Voldemort é o último descendente de Salazar Sonserina. Não é um erro que Dumbledore teria cometido. (Corrigido em edições posteriores.)

Continuidade: No segundo livro, Harry, Rony e Hermione vão para a festa do 500º aniversário de morte de Nick Quase Sem Cabeça. Entretanto, no banquete de início do ano letivo no primeiro livro, ele diz que não come há aproximadamente 400 anos, o que sugere que este é o tempo que se passou desde a sua morte.

Continuidade: Assim que Harry, Rony, Fred, e Jorge chegam à Toca depois de buscar Harry, a Sra. Weasley grita com Fred. “Você não vai”, refilou a Sra. Weasley. Depois diz “E você também”, olhando para Rony e Fred. Mas deveria ser o Jorge porque ela tinha acabado de gritar com o Fred.

Continuidade: Quando Harry explode a Poção para fazer Inchar de Goyle na aula de Poções, ela molha todos os alunos. Mas depois de alguns minutos, apenas metade deles se dirige ao Snape para apanhar o antídoto.

Continuidade: Atrás da edição de capa mole, há uma prévia do terceiro livro, onde diz que Harry faz a Tia Petúnia inchar como um balão. Mas devia dizer sua tia Guida.

Continuidade: A lista de equipamentos de Hogwarts menciona o livro de Lockhart “Passeios com Lobisomens”, porém, mais tarde, Lockhart se refere ao mesmo livro como “Fim de semana com um lobisomem”. (Talvez seja corrigido em edições posteriores).

Correções
Aquelas dúvidas que os fãs sempre tiveram e sempre tomaram como erros da trama, são finalmente respondidas aqui.

Hermione diz que a Murta que Geme assombra o banheiro do primeiro andar. Entretanto, quando Harry vê a pichação na parede fora do banheiro do fantasma, ele está no segundo andar. [Não há referências dizendo que Harry está no segundo andar quando vê a pichação.]

Na festa do 500º aniversário de morte de Nick Quase Sem Cabeça, ele diz ter morrido em 1492. Portanto, o livro se passa em 1992, e como Harry tem 12 anos, ele nasceu em 1980. Já no primeiro livro, Harry menciona que seu 11º aniversário foi dia 31 de julho, numa Terça-feira. Essa data foi numa Quarta-feira em 1991, quando ele supostamente nasceu. [Se o aniversário de morte de Nick foi antes de 31 de julho, Harry só teria 12 anos se ele tivesse nascido em 1979. Isso põe o seu 11º aniversário numa Terça-feira, 31 de julho de 1990.]

Quando Harry entra na memória de Tom Riddle procurando o “Herdeiro de Sonserina”, ele está na sala do diretor. Mas Tom não está na sala ainda. Ele entra brevemente, mas como Harry podia ver Dippet se Tom não estava lá para lembrar-se? [Riddle sabia que Dippet estava sentado em sua escrivaninha esperando-o; portanto, Harry podia estar lá.]

Rony e Harry voaram com o Ford até os terrenos de Hogwarts. Entretanto, Dumbledore pôs poderosos feitiços nos arredores do Castelo que previnem que qualquer coisa ultrapasse os muros do Castelo. [Incorreto: ele pôs esses feitiços no livro 3 (devido à fuga de Sirius Black). Este é o segundo livro.]

Rony disse que Fred transformou seu ursinho de pelúcia em uma aranha quando tinha 3 anos. Mas Fred devia ter 6 ou 7 anos na época e bruxos menores de 11 anos não têm varinha. [No primeiro livro, Harry era capaz de fazer mágica sem varinha, ainda que sem intenção. Por que é tão difícil de acreditar que o filho de uma importante família bruxa não poderia fazer o mesmo?]

Neste livro Percy tira 10 pontos da Grifinória, quando Rony, Harry e Hermione estão do lado de fora do banheiro feminino no segundo andar. “10 pontos para a Grifinória” disse Percy, segurando o seu distintivo de monitor. Entretanto, mais tarde na série, quando Umbridge começa a lecionar, Malfoy tenta tirar pontos de Harry, Hermione e Rony, e Hermione diz “Monitores não podem tirar pontos de estudantes, Malfoy, só professores”. [De acordo com J.K Rowling, monitores podem tirar pontos de alunos, menos de outros monitores.]

Hermione diz várias vezes (mas isto pode estar nos próximos livros) que ninguém pode aparatar ou desaparatar nos/dos terrenos de Hogwarts, mas Dobby freqüentemente o fazia. Pode ser que a regra só se aplique a seres humanos, mas com certeza um bruxo esperto feito Dumbledore se certificaria que o feitiço valesse para todas as criaturas e não apenas para humanos. [Isso já foi corrigido várias vezes. J.K Rowling já declarou que elfos domésticos usam um tipo diferente de magia, então eles podem aparecer e desaparecer dentro e fora de Hogwarts.]

Durante a cena na Floreios e Borrões, Harry é presenteado com uma coleção completa dos livros de Lockhart. Mas ele os coloca no caldeirão de Gina, murmurando “Comprarei meus próprios livros”. Porém antes que ele possa fazer isso, começa a briga entre Lúcio Malfoy e o Sr.Weasley e eles deixam a loja, depois voltam pra casa usando o Pó de Flu e não retornam ao estabalecimento. Onde Harry comprou seus livros, então? [Em o “Enigma do Príncipe”, aprendemos que alunos têm permissão para encomendar seus livros depois que já estão na escola. Harry e Rony têm que comprar seus livros de Poções. Supõe-se, portanto, que Harry ou alguém na escola poderia encomendar os livros para ele.]

Na página 182 (as páginas podem ser diferentes dependendo das versões), Harry ainda está no hospital, porém quando ele acorda, diz que o dormitório estava brilhando com a luz do sol de inverno. [É um dormitório da ala hospitalar. Não pode ser classificado como um quarto, porque há várias camas, devido ao grande número de ferimentos que acontecem...]

Na página 105, Harry encontra Madame Nora petrificada no segundo andar. Quando Dumbledore pede a todos que o sigam, Lockhart sugere ao diretor que use sua sala porque fica um andar à cima, o que significa que a sala de Lockhart fica no terceiro andar. Mas nas páginas 91-92 diz que Harry está arrastando seus pés pelo corredor do segundo andar em direção a sala de Lockhart para cumprir sua detenção. [Só porque ele está arrastando os pés no corredor do segundo andar não significa que a sala de Lockhart fica lá. Ele poderia ter subido um lance de escadas para alcançar a sala de Lockhart.]

Hermione diz que os hemeróbios para a Poção Polissuco têm que ser cozidos por 21 dias. Mas na página 184 Rony despeja os hemeróbios mortos em cima das sanguessugas. Eles não poderiam adicionar logo os hemeróbios porque estavam no primeiro dia. [Não é dito se os hemeróbios têm que ser cozidos separadamente da poção ou adicionados à poção e cozidos lá. Considerando que ele os adicionam no primeiro dia, podemos presumir a segunda situação.]

Na foto do início do capítulo 10 “O Balaço Errante” mostra Harry com o braço esquerdo desossado. Entretanto, diz que o braço desossado foi o direito. [O trabalho artístico não faz parte do texto, e não deve ser contado como erro do livro. O mesmo vale para o trabalho artístico de vídeos e DVDs no moviemistakes.com, eles não são considerados partes do filme e não são aceitos como erros.]

É declarado no livro que fantasmas não podem comer nem beber, portanto como a Poção de Mandrágora é bebida por Nick Quase Sem Cabeça? [Tenho certeza que os excelentes bruxos de Hogwarts poderiam encontrar um jeito mágico. Alguns itens podem ser deixados para a imaginação.]


Harry Potter e o Prisioneiro de Azkaban

Erros
Alguns pequenos deslizes que podem ter passado despercebidos…

Continuidade: Antes de Harry e Hermione voltarem no tempo, é mencionado que Bicuço está amarrado a uma árvore (página 266, edição brasileira). Mas quando eles voltam no tempo, Bicuço está amarrado a uma cerca (página 320, edição brasileira).

Continuidade: Assim que eles saem da Casa dos Gritos, a ordem é Bichento, Lupin, Pettigrew, Rony, Snape, Harry, Hermione e Sirius (página 306, edição brasileira). Entretanto, quando eles voltam no tempo, a ordem é Lupin, Rony, Pettigrew, Hermione, Snape, Harry e Sirius (página 327, edição brasileira).

Continuidade: Em junho, Fred e Jorge Weasley descobrem que conseguiram “alguns N.O.M.s cada um”. Entretanto, em livros seguintes, é declarado com firmeza que os resultados de N.O.M. são mandados para casa por coruja e não são recebidos antes de agosto (na página 344 de PdA estão os resultados dos gêmeos, e na página 575 de OdF, a informação de que os resultados chegam em julho).

Continuidade: Na página 275 (versão brasileira), diz que Rony “arrastou-se até a cama de colunas e largou-se sobre ela”. Mas quando o professor Lupin entra, diz que “seus olhos piscaram ao ver Rony, deitado no chão”. Isso não poderia ocorrer, pois Rony ainda estava na cama.

Continuidade: Nas versões americanas, o Sr. Weasley diz nesse livro que Harry e Rony estiveram na Floresta Proibida duas vezes (página 58 da versão brasileira). Mas em Pedra Filosofal, apenas Harry foi, cumprindo detenção – ele estava com Hermione, Neville e Malfoy.

Erro factual: o Capítulo Dezesseis (A Predição da Profa. Trelawney) ocorre em junho de 1994. No começo da página 355 (edição brasileira) do capítulo, Harry Potter lê um bilhete de Hagrid e diz “o recurso do Bicuço, está marcado para o dia seis”. Na noite do recurso do hipogrifo, Remo Lupin se transforma em um lobisomem por causa da lua cheia, o que significa que isso ocorreu na noite de 6 de junho de 1994. O site HP Lexicon também confirma essa informação. No entanto, uma breve olhada no calendário lunar de sites como Stardate e Verizon definitivamente mostra 9 de junho de 1996 como uma noite de lua nova, o que significa que a lua cheia não poderia ter ocorrido três dias antes.

Correções
Aquelas dúvidas que os fãs sempre tiveram e sempre tomaram como erros da trama, são finalmente respondidas aqui.

Quando Harry está comprando seus livros na Floreios e Borrões, é mencionado que ele está sendo atendido pelo gerente. Mas quando Harry está olhando o livro “Presságios de Morte”, é dito que ele está sendo atendido por um assistente da loja. [Não há nenhuma menção no capítulo todo a um assistente. É sempre um gerente. Não é um erro]

Em Harry Potter e a Pedra Filosofal, Marcos Flint é descrito como um “aluno do sexto ano parecendo um trasgo”. Mas em Prisioneiro de Azkaban, Flint ainda é capitão do time de quadribol da Sonserina. Há apenas 7 anos em Hogwarts e não há nenhuma menção a Flint ter sido reprovado ou outra coisa que explicasse porque ele estaria presente no que seria o oitavo ano em Hogwarts. [J.K. Rowling admitiu essa aparente discrepância e comentou que Flint foi reprovado]. (Na edição brasilera de PF, página 161, Flint é apresentado como um aluno do quinto ano)

No começo do livro, quando Harry encontra o Nôitibus Andante, Stan Shunpike explica o que o garoto pode fazer a uma certa quantia de sicles, como 11, para ir até Londres. Harry escolhe uma e é mencionado que ele dá a Stan um ourinho, que seriam galeões, e não sicles prata. [E daí? Stan está dizendo os preços a Harry, Harry paga uma quantia grande e Stan dá a ele o troco] – página 35, edição brasileira
Quando Harry e Hermione retornam depois de terem salvado Bicuço e Sirius Black, Dumbledore tranca-os na ala hospitalar. No entanto, é dito que Harry e Hermione retornaram ao dormitório, quando deveria ter sido a ala hospitalar. [Um dormitório é uma “sala contendo várias camas” Então, na verdade, JKR não está se referindo ao dormitório da Grifinória quando escreve isso – ela de fato se refere à ala hospitalar] – na edição brasileira, não encontramos referências a dormitório, apenas à ala hospitalar e enfermaria.

Na página 204 (edição brasileira), é dito que todos os jogadores de quadribol da Corvinal voam em Cleansweep Sevens. Mas na página 207, Wood diz a Harry que Cho Chang, que é apanhadora da Corvinal, usa uma Comet 260. [Nem mesmo é dito QUEM diz que todos os jogadores da Corvinal utilizam Cleanweep Svens: é apenas um grifinório aleatório e anônimo. Ou eles estão fazendo uma generalização (talvez todos os OUTROS jogadores da Corvinal utilizem CS7s) ou eles estão muito enganados. Então ou não é um erro, ou é apenas um erro do personagem].

No capítulo 19, é dito que Voldemort estava se escondendo havia 15 anos. Se ele havia perdido seus poderes apenas há 12 anos, por que ele teria se escondido por 3 anos a mais? [Porque ele era o bruxo mais procurado do mundo, acusado de vários crimes]. (No capítulo 19 da edição brasileira, não há menção a Voldemort estar se escondendo há 15 anos – é dito apenas que ele está foragido há 12 anos, página 298)

Continuidade: Quando Harry e Hermione saem do hospital utilizando o vira-tempo, Dumbledore diz que são dez para meia-noite, mas no caminho de volta à repartição do hospital após terem salvado Sirius, eles ouvem Dumbledore dizer a suas outras versões que são cinco para meia-noite. (na versão brasileira, em ambos momentos Dumbledore declara faltarem cinco minutos para meia-noite – a primeira vez na página 316, e a segunda, na página 335.)


Harry Potter e o Cálice de Fogo

Erros
Alguns pequenos deslizes que podem ter passado despercebidos…

Continuidade: Em Quadribol Através dos Séculos, é dito que a primeira Copa Mundial de Quadribol foi em 1473, acontecendo a cada quatro anos. No entanto, a Copa de 1994 é a número 422. Não pode ter havido 422 copas mundiais em 521 anos, sendo que elas acontecem de quatro em quatro anos. Calculando corretamente, a Copa a qual os Weasleys, Hermione e Harry assistiram é, na verdade, a 131ª, e deveria ter acontecido em 1993.

Erro factual: Harry diz a Sirius, em uma de suas cartas, que Duda jogou o seu Playstation pela janela. Porém, a história do Livro 4 se passa em 1994, e o Playstation não foi lançado na Grã-Bretanha até 1995.

Outros: Antes do início da terceira tarefa, Molly Weasley fala de suas recordações do guarda-caça que precedeu Hagrid, chamado Ogg. Mas em outros livros, conta-se que Hagrid ocupa o cargo desde a sua expulsão, em 1943. Considerando que os anos de Hagrid como guarda-caça superem os anos de Molly em Hogwarts, parece improvável que ela tenha conhecido o anterior.

Erro factual: Em Hogsmeade, Sirius menciona que os anos em que Snape freqüentou Hogwarts tenham coincidido com os de Belatriz Lestrange. Mas considerando as suas datas de nascimento, Belatriz teria se formado na escola dois anos antes de Snape começar.

Continuidade: No Capítulo 17, Karkaroff diz para Moody, “Ouvi dizer que você cismou, recentemente, que um dos seus presentes de aniversário era um ovo de basilisco muito bem disfarçado”. Porém, em Câmara Secreta, a página do livro que Hermione estava lendo sobre basiliscos dizia que a criatura “nasce de um ovo de galinha, que é chocado por um sapo”. Moody teria que colocar o seu presente de aniversário para ser chocado por um sapo, para que se tornasse um basilisco.

Continuidade: Durante o Priori Incantatem, as vítimas de Voldemort aparecem na ordem inversa. Porém, Tiago aparece antes de Lílian. Ele deveria aparecer por último, pois foi morto antes dela. (Corrigido em edições posteriores do livro).

Continuidade: Quando Dumbledore, Fudge e Moody estão falando sobre Crouch, em um dado momento é dito, “disse Crouch nervosamente”. Ele não estava na sala – eles estavam apenas falando sobre ele.

Continuidade: Quando Fred e Jorge apostam no jogo de Quadribol com Bagman, é dito que Fred guarda o papel com as suas economias no bolso das vestes. Mas ele estava usando roupas de trouxas.

Continuidade: Quando Sirius visita Harry, Rony e Hermione em Hogsmeade, ele menciona que o trio e o Prof. Dumbledore são os únicos no vilarejo que sabem que ele é um Animago. Mas o Prof. Snape também sabe.

Continuidade: No início, é dito que Harry pensou por uma hora, no ano anterior, que moraria com Sirius, mas no terceiro livro, ele só pensou por meia hora que ficaria com o padrinho.

Continuidade: No capítulo 35, é dito no livro “‘A Maldição Imperius’, disse Moody”. Porém, a Poção Polissuco já tinha perdido o efeito, então deveria ser uma fala de Bartô Crouch Jr.

Correções
Aquelas dúvidas que os fãs sempre tiveram e sempre tomaram como erros da trama, são finalmente respondidas aqui.

Quando Moody faz demonstrações da Maldição Imperius, é dito no livro que ele a lança sobre Harry quatro vezes. Porém, mais tarde no livro, podemos ler “E Harry sentiu, pela terceira vez na vida dele, como se sua mente fosse esvaziada de qualquer pensamento”. Deveria ter sido pela quinta vez, pois ele já havia experimentado a Maldição Imperius quatro vezes antes. [Harry já tinha aprendido a controlar/repelir a Maldição com Moody, então o efeito de esvaziamento da mente não seria o mesmo na terceira ou quarta vez.]

Quando Harry decide escrever a Sirius sobre a sua cicatriz, ele se pergunta por que não pensou no padrinho logo de primeira. É dito que Harry descobriu que Sirius era o seu padrinho há apenas dois meses, mas ele, na verdade, descobriu antes do Natal de 1993, o que seriam oito meses mais cedo, e não dois. [Embora isso seja tecnicamente verdade, oito meses antes, Harry pensava que Sirius havia matado os seus pais. Ele só escreveria a Sirius para pedir conselhos depois do encontro entre ambos que aconteceu dois meses antes.]

Harry tem muitas mãos no final do capítulo 34. Ele segura o pulso do Cedrico, já morto, enquanto “aperta a varinha com mais força” com a outra mão. Porém, quando convoca a Taça Tribruxo ele a segura pela asa, e algumas linhas mais tarde (bem no início do capítulo 35) é dito “Ele agarrou as DUAS coisas que ainda segurava – a alça fria da Taça Tribruxo, e o cadáver de Cedrico.” Isso implica que ele soltou a varinha ou que, de alguma forma, ele conseguiu colocá-la no bolso enquanto viajava com a Chave de Portal, sem perder contato com a Taça e com Cedrico. Algumas páginas depois, quando estava confrontando Moody, ele está com a varinha novamente. [É totalmente possível que Harry tenha segurando tanto a varinha quanto a Taça com a mesma mão e o cadáver de Cedrico com a outra. A varinha e a alça da Taça não são muito grandes.]

Depois de Hermione desistir de Estudos dos Trouxas, ela diz que tem o mesmo número de matérias que Harry e Rony. Mas ela ainda tem aulas de Aritmancia, Trato de Criaturas Mágicas e Runas Antigas, sem contar as matérias obrigatórias. Ela continua tendo mais aulas que Harry e Rony, cujas únicas matérias extras são Trato de Criaturas Mágicas e Adivinhação. [Ela nunca disse que tinha a mesma quantidade de matérias que Harry e Rony. Ela apenas disse que conseguirá manter uma grade de aulas normal e não precisará usar o Vira-Tempo para assisti-las. Por falar nisso, essa informação está na página errada, pois a fala em questão está, na verdade, no final de Prisioneiro de Azkaban.]

Em Ordem da Fênix, Harry consegue ver os Testrálios, pois ele diz ter visto Cedrico morrer. Porém, em Cálice de Fogo, no cemitério, é dito que os olhos de Harry estão fechados devido à dor em sua cabeça. Tudo o que ele vê é uma luz verde e então não pode ter visto Cedrico morrer. [Isso não é um erro. Dizer “ver a morte de alguém” é uma figura de linguagem que significa que você estava junto da pessoa quando ela morreu, não quer dizer que você deve encará-la precisamente na fração de segundo em que a vida deixa o corpo. Harry ainda testemunhou a morte de Cedrico, mesmo que seus olhos estivessem fechados.]

Quando Harry conhece Gui e Carlinhos Weasley na Toca, é dito no texto que ele nunca tinha visto os irmãos antes. Porém, no início de Prisioneiro de Azkaban, ele vê uma foto da família reunida no jornal, sobre quando eles fazem a viagem ao Egito. [Mesmo isso sendo verdade, você não pode descartar a possibilidade que o texto indique que Harry nunca tinha visto Gui e Carlinhos pessoalmente antes.]

Bem no final do livro, Harry vê as carruagens sem cavalos que estão prestes a levar os alunos a Hogsmeade, neste ponto Cedrico já havia sido morto então Harry deveria ser capaz de ver os Testrálios que puxam as carruagens no próximo livro. [Isso foi explicado em uma correção de “Harry Potter e a Ordem da Fênix”. A própria J.K. Rowling já explicou publicamente que não se vê os Testrálios imediatamente após testemunhar uma morte. A pessoa deve primeiro superar o choque inicial de ver uma morte repentina.]

Na página 229 (209 na edição brasileira), quando Fred e Jorge estão com barbas, Dumbledore diz “Sugiro que os dois procurem Madame Pomfrey. Ela já está cuidando da Srta. Fawcett da Corvinal”. Porém, durante o Baile na página 371 (338 na edição brasileira), quando Fawcett e Stebbins são encontrados por Snape atrás dos arbustos, ele diz “Dez pontos da Lufa-Lufa, Fawcett”. Não deveria ser da Corvinal? Isto é da primeira edição da versão Britânica. [Fawcett poderia ter uma irmã na Lufa-Lufa. Como Hermione comentou, às vezes irmãos são colocados em Casas diferentes, como, por exemplo, as irmãs Patil, mesmo sendo gêmeas idênticas, Parvati está na Grifinória, enquanto Padma está na Corvinal.]

No capítulo 26, Krum diz à Hermione que ela tem um besouro d’água nos cabelos, e ela mesma o tira. No capítulo 37, ela diz que Krum foi quem tirou o inseto dos cabelos dela. [Esse seria um erro da personagem. Ela simplesmente não se lembrou de todos os detalhes do que aconteceu.]

Na página 124 (edição brasileira) Percy diz, “Foi meio imprudente ele [Arthur Weasley] fazer uma declaração à imprensa sem antes pedir autorização ao chefe do departamento”. Porém, no livro três, é dito que o Sr. Weasley É o chefe do departamento. [O departamento do Sr. Weasley, a Seção de Mau Uso dos Artefatos Trouxas, é uma subdivisão do Departamento de Execução das Leis da Magia. Presumivelmente, era o chefe DESTE departamento (revelado no livro cinco como sendo Amélia Bones) a quem Percy se referia.]

Na Copa Mundial de Quadribol, Bagman denomina “esfolar” a ação de voar com intenção de colidir, mas segundo o livro “Quadribol Através dos Séculos”, o termo correto é “trombar”. [Erro do personagem ou decisão – Bagman poderia estar usando uma gíria, ou um antigo termo que precedeu “Quadribol Através dos Séculos”.]

No livro 2, é dito que Murta assombra os canos do vaso sanitário, mas no livro 4, fala-se que ela assombra todo o encanamento. [Os canos fazem parte do encanamento. Toda a canalização é composta por canos para conter a água e impedir que os gases subam.*]

*Nota do Revisor: o original usa os termos U-Bend e S-Bend para descrever o tipo de cano. U-Bend é “uma parte do cano com formato em U, especialmente um que leva embora a água usada”. S-Bend é “uma curva em um cano que tem formato em S”.


Harry Potter e a Ordem da Fênix

Erros
Alguns pequenos deslizes que podem ter passado despercebidos…

Erro do personagem: Quando Harry menciona que os falsos Galeões, inventados para o uso da A.D., os fazem lembrar da Marca Negra tatuada nos Comensais da Morte, ele se refere incorretamente à tatuagem como uma cicatriz.

Continuidade: Quando o grupo de alunos chega ao Cabeça de Javali para a reunião da Armada Dumbledore, Fred e Jorge Weasley são os últimos a chegar, mas então Fred “salta” à frente do grupo para alcançar o balconista primeiro.

Continuidade: Quando Hagrid retorna e volta a dar aulas, ele comenta que, há anos, tem trazido Testrálios para os N.O.M.s. prestados por seus alunos do quinto ano, porém, havia somente dois anos que ele começara a dar aulas, em O Prisioneiro de Azkaban.

Continuidade: No capítulo 30 da versão americana de capa dura, Harry e Hermione encontra assentos na fila mais alta nas arquibancadas. Mas quando Hagrid vem para contar-lhes sobre Grope, atropela a todos pelo caminho que estavam sentados na fila atrás deles. Se Harry e Hermione estão na fila mais alta, não há como existir uma fila atrás deles.

Continuidade: No capítulo 9, quando Harry deixa Hermione tomar Edwiges emprestada, Harry continua curvado até que escuta a garota bater a porta. De qualquer forma, quando ele ouve Hermione e Edwiges saírem, ele corre e fecha a porta, mas a porta já estava fechada.

Correções
Aquelas dúvidas que os fãs sempre tiveram e sempre tomaram como erros da trama, são finalmente respondidas aqui.

Harry diz que Dobby deixava os Malfoy para lhe dar avisos dois anos antes, mas isso acontece no livro dois, o que são três anos atrás. Dobby ainda estava servindo aos Malfoy quando foi advertir Harry. [Isto foi apenas há dois anos em tempo real mas há três livros atrás. O último aviso de Dobby veio ao final do ano 2 e isto é, no início do ano 5, apenas há pouco mais de 2 anos.]

Quando Tonks está no quarto de Harry e fala sobre quando se tornou uma auror, ela conta que ingressou no cargo há apenas um ano atrás. Mais tarde no livro, durante a orientação vocacional, a Profa. McGonagall diz que ninguém se tornou auror em três anos. [Tonks somente foi qualificada como auror há um ano atrás. Eles não podem ter selecionado ninguém para treinar nos últimos três anos.]

Na cena quando Malfoy está tirando pontos de Harry, Rony, Hermione e Ernesto Macmillan, no início do capítulo 28, Ernesto declara que Monitores não podem tirar pontos das Casas, mas em “A Câmara Secreta” Percy Weasley tira dez pontos da Grifinória por que Harry e Rony estavam no banheiro da Murta-Que-Geme. [J.K. Rowling explicou que monitores podem tirar pontos das casas, só não podem tirar de outros monitores.]

Harry e Hermione têm suas varinhas confiscadas quando são vistos usando a lareira de Umbridge. Após o ataque dos centauros, os outros fogem e se encontram com eles. Depois deste momento eles estão com suas varinhas, mesmo que nada tenha sido mencionado sobre como eles as recuperaram. [Se você ler o texto atentamente, diz que Rony devolve as varinhas de Harry e Hermione.]

Nos testes práticos dos N.O.M.s, os alunos são chamados em ordem alfabética de acordo com o sobrenome. Harry é chamado junto de Ana Abbot. Abbot e Potter não deveriam estar juntos. [De qualquer forma, em um ponto anterior a este, Malfoy ainda está fazendo o seu teste quando Harry chega. Já que o desempenho de Ana Abbot foi péssimo, pode-se dizer que ela ainda estava em teste quando Harry chegou.]

Na versão Britânica do livro 5, é mencionado Algernon Rookwood, mas no livro 4 o nome dito é Augustus Rookwood. [Podiam ser muito bem duas pessoas diferentes.]

No capítulo onde Harry e companhia estão na aula de Trato das Criaturas Mágicas com a Profa. Grubbly-Plank, ela diz para entregarem seus desenhos de Tronquilhos ao final da aula. Em um capítulo posterior, Harry diz que tem que terminar seu desenho. [Não é impossível que a professora não tenha gostado do desenho de Harry e o tenha mandado refazê-lo como um dever de casa extra.]

No capítulo 17, Harry entrega uma Edwiges ferida à Profa. Grubbly-Plank que diz “Testrálios, às vezes, atacam pássaros, é claro.” O próximo parágrafo declara que “Harry não sabe, nem quer saber o que são Testrálios”. De qualquer forma, no capítulo Dez há uma discussão sobre eles entre Luna Lovegood e Harry, os dois que podem ver as criaturas puxando as carruagens, bem como em um ponto onde Harry está apontando-os para Rony. [Verdade, mas em ambas as situações Harry não sabia como eram chamados. Só depois que Hagrid voltou e retomou as aulas Harry soube o por quê ele podia vê-los e Rony e Hermione não.]

No livro 1 fala que Tiago e Lílian Potter foram monitores-chefes. Você precisa ser monitor para se tornar um monitor-chefe. Neste livro, Sirius conta a Harry que seu pai (Tiago) não foi um monitor. [Não, de fato não. JK Rowling disse pessoalmente que não precisa ser um monitor para se tornar um monitor-chefe.]

No começo do livro Harry recebe um presente de Sirius. Um presente que ele só abre depois da morte do padrinho e descobre que se trata de um espelho de comunicação. Nenhuma outra vez, ao decorrer de todo o livro, este presente é mencionado. Mesmo quando Harry usa a lareira e arrisca tudo para conversar com Sirius, Sirius não menciona se ele abriu o seu presente e durante as semanas de recesso de Natal, quando eles de fato estão frente à frente, nada é falado. Isto é considerado um furo na narrativa pois é simplesmente incrível que um presente tão valioso tenha acabado nas mãos de Harry e não tenha sido usado. Com o uso deste espelho muitas das falhas de comunicação ao longo da história teriam sido evitadas, fazendo a trama parecer suspeitosamente forçada. [Isto declara explicitamente que Harry tirou-o da cabeça para evitar arriscar a liberdade de Sirius. Não foi no início do livro que ele recebeu, foi um presente de Natal; e ninguém sabia sobre isso, exceto Harry e Sirius, daí a falta de discussão. Ele simplesmente esqueceu o assunto.
Mesmo que lamentasse depois de ter descoberto o que aquele espelho era.]

Hermione tricota chapéus para libertar os elfos domésticos de Hogwarts. Mas os elfos não pertencem à ela e sim a Dumbledore. Então, tecnicamente eles não podem ser libertados por alunos, somente por Dumbledore. [Onde está o erro? Nunca foi dito que qualquer um dos elfos foram libertados. Apenas que eles acharam a tentativa um insulto.]

No capítulo 28, diz que todo mundo na escola parece saber como Dumbledore derrotou dois Aurores, a Alta Inquisidora, o Ministro da Magia e seu assistente júnior. Percy é o assistente júnior do Ministro, mas ele não estava no escritório com o chefe no momento, ele havia saído após a “confissão” de Dumbledore para enviar suas anotações para o Ministério. [Hum, é certo que mesmo que cada um na escola soubesse disso, foi através de um rumor. Nem todos poderiam saber que Percy estava fora da sala, assim eles poderiam apenas ter falado uns para os outros que o rapaz estava com o ministro ao entrarem na escola, concluindo que Dumbledore teria enfeitiçado todos.]

Na preparação para seus testes, Parvati e Lilá estavam enfeitiçando os seus estojos de lápis, fazendo correr. Entretanto, eles usam penas, então por que têm estojos para lápis? [Um estojo para lápis é um termo genérico para o objeto onde se pode guardar esse tipo de material. Não é específico para lápis e evita a confusão que poderia acontecer se o chamasse de “estojo para penas”.]

No capítulo Luna Lovegood, Harry vê os Testrálios pela primeira por ter testemunhado a morte de Cedrico no fim do último ano letivo. Porém, ele não viu os Testrálios quando deixou Hogwarts antes do verão. [JK Rowling explicou isso no Festival de Livros de Edimburgo. Ela disse, especificamente, que não se trata de um erro e que tinha pensado sobre isso com cuidado. Ela explicou que todos os que sofrem uma perda recebem um choque imediatamente no instante em que caem em si que nunca mais verão aquela pessoa novamente. Uma vez que isso aconteceu, eu (JK Rowling) não creio que Harry poderia ver os Testrálios. Então, em outras palavras, não ia ser assolado pela dor da morte de Cedrico para conseguir enxergar as criaturas.]

No capítulo 27, Fudge diz, “Ou seria essa a explicação comum que envolve a reversão do tempo, um morto volta à vida e uns Dementadores invisíveis?” Fudge nunca soube sobre Hermione e Harry terem usado o Vira-Tempo para resgatar Sirius no terceiro livro. [Fudge realmente não sabia sobre o Vira-Tempo, mas ele queria enfatizar sobre como considera as histórias de Harry tão extravagantes e fantásticas de se acreditar, que ele exagera. Nunca houve nenhum “Dementador invisível”, isso tudo não passa de uma coisa que Fudge criou para ilustrar sua observação.]

No capítulo 38 diz que Tonks está usando uma camisa com os dizeres “As Esquisitonas”. Mas na ilustração do início do capítulo você pode ver que somente o “oas” está visível, mas deveria ser “onas”, por que o N vem antes do A. [Ilustrações não fazem partes do texto e não podem ser consideradas erros. Ilustrações em capas de DVD não são consideradas erros de filmes pela mesma razão.]

Ao discutir sobre os ex-professores de Defesa Contra as Artes das Trevas, surge que “um foi demitido, um foi morto, um teve a memória removida e um foi trancado em um baú por nove meses.” Lupin é o demitido da história, mas ele não foi demitido, ele se demitiu. [Decisão do personagem - Lupin foi praticamente demitido, porém recebeu a chance de se demitir primeiro. De qualquer forma perderia seu emprego e não pela sua própria escolha, o que é o mesmo de ser demitido. Lupin simplesmente pôde dar um nome melhor a isso, só isso.]

Dênis Creevey ainda é um aluno do segundo ano, e ainda assim ele pode ir ao Cabeça de Javali para as reuniões da A.D. Apenas alunos do terceiro ano têm permissão para irem a Hogsmeade. [Como vemos várias vezes nos livros, é muito possível que estudantes de Hogwarts quebrem as regras da escola, basta que eles queiram. Harry & cia. (sem mencionar os gêmeos Weasley) fazem isso o tempo todo.]


Harry Potter e o Enigma do Príncipe

Erros
Alguns pequenos deslizes que podem ter passado despercebidos…

Continuidade: Como Rony e Lilá podem estar em um ‘canto proeminente’ da Sala Comunal já que em Harry Potter e a Pedra Filosofal diz que esta é uma sala circular?

Continuidade: na página 186 da versão americana, mais ou menos na metade da página, o parágrafo começa assim “Malfoy olhou da mesma forma como quando Hermione lhe deu um soco.” Ele nunca levou um soco de Hermione neste livro. No livro 3, ele apenas levou um tapa dela.

Correções
Aquelas dúvidas que os fãs sempre tiveram e sempre tomaram como erros da trama, são finalmente respondidas aqui.

Na primeira aula de poções, Slughorn mostra aos alunos algumas poções e diz que aquelas são exemplos das que eles estarão aptos a preparar depois de completarem seus N.I.E.M.s. Mas depois, neste livro, Rony pede para Harry verificar seu livro para ver se eles podem preparar um estoque delas para eles mesmos. Harry diz que é muito complicado e que isso vai levar seis meses para ficar pronto. Se for assim, como Slughorn conseguiu prepará-las para a sua primeira aula? Fica muito claro que se passou apenas 2 meses depois de Dumbledore tê-lo chamado. [Slughorn foi o professor de poções de Hogwarts por alguns anos antes de se aposentar. Isso não significa que ele tenha parado de preparar poções. Não há razão para que ele não tenha uma reserva.]

Quando Harry e Dumbledore estão na segunda câmara da caverna, o texto diz “O brilho esverdeado e a luz das duas varinhas.” Ali deveria haver apenas uma única varinha acesa que é a de Dumbledore, pois não é dito que Harry acendeu a dele, além de que seria ilegal Harry usar magia fora de Hogwarts por não ser “maior”. [No topo da mesma página, diz “... com Harry aos seus calcanhares, *acendendo a sua própria varinha* rapidamente enquanto caminhava”.]

Malfoy usou a Maldição Imperius em Madame Rosmerta para fazê-la entregar o colar amaldiçoado a um aluno de Hogwarts. Se Hogsmeade fica “fora da escola” e Malfoy era menor de idade naquele momento, o Ministério não deveria ter investigado o uso de uma Maldição Imperdoável tão perto de Hogwarts? Assim sendo, não deveria ter descoberto que Rosmerta foi amaldiçoada? [O que eu entendo por “fora da escola”, significa quando os alunos estão no mundo dos Trouxas no verão. Visto que Hogsmeade é uma vila bruxa em sua completude, eu pensaria que, enquanto o Ministério investigava o acontecido, poderia ser difícil para eles descobrirem quem especificamente executou a maldição; existem dezesseis grupos de alunos menores de idade (3ª, 4ª, 5º e 6º anos, das quatro Casas) que têm permissão para visitar o vilarejo.]

Está declarado em O Enigma do Príncipe que o Ministério pode somente detectar magia, não quem a executa. Então, quando Dumbledore visita Harry no começo do livro e executa magia, o Ministério não deveria tê-la detectado, sabendo que Harry é um bruxo menor de idade? (Nenhuma magia deveria ter sido executada naquela casa de forma alguma). [Como foi explicado em “Relíquias da Morte”, há um encantamento que é lançado sobre todas as pessoas menores de dezessete anos que detecta o uso indevido de magia por menores. Uma vez que Dumbledore é maior, é possível que o Ministério tivesse conhecimento disso e, dessa forma, tratado a magia como legal.]

Na versão americana, página 485, Slughorn conta ao Harry que ele fez “um elfo doméstico experimentar cada bebida depois do que aconteceu com seu pobre amigo Rupert”. Slughorn deveria ter dito “pobre amigo Rony”, não Rupert. Assim, assume-se que esta é uma referência a Rupert Grint, o ator que interpreta Rony nos filmes. [Se você observar, Slughorn chama Rony por um nome diferente anteriormente no mesmo livro, então não se trata de um erro da J. K. Rowling, mas sim do personagem. Mas a suposição (de que é uma referência ao Rupert Grint) é plausível.]

Na edição americana, página 188, Slughorn diz, “Um minúsculo frasco de Felix Felicis é o suficiente para doze horas de sorte. Até o efeito acabar, você será bem sucedido em tudo o que tentar fazer”. Mas na página 476, Harry diz, “Eu não calculo que eu vá precisar de tudo isso, não de vinte e quatro horas.” [Este é um erro de Harry, não de Rowling.]

Na parte onde Harry coordena os testes de Quadribol o livro diz que há alunos do primeiro ano segurando velhas vassouras da escola, mas no primeiro livro fala que os alunos do primeiro ano não podem ter vassouras ou participar do time de Quadribol da Casa. [Visto que Harry teve permissão para entrar no Time da Casa no primeiro ano, é lógico assumir que as regras fora mudadas. Quanto aos novatos que estão portando vassouras, eles não podem ter vassouras próprias (sendo que não têm permissão), mas podem usar as da Casa.]

Repetidas vezes é dito ao longo dos livros que ninguém pode aparatar e desaparatar nas propriedades de Hogwarts. Entretanto, tanto Dobby quanto Monstro aparatam quando Harry os chama. [Foi argumentado que elfos domésticos tem poderes naturais que não são afetados pelas regras bruxas. Então não é assim tão implausível que Dobby e Monstro podiam Aparatar pelo castelo, mesmo que o feitiço anti-Aparatação estivesse funcionando.] [J. K. Rowling disse que Dobby e Monstro, sendo elfos domésticos, podem. Não Aparatam ou Desaparatam, é uma espécie de magia própria dos elfos domésticos.]

Neste livro, perto do final, Snape diz que ele é O Príncipe Mestiço. Anteriormente, quando Harry está passando o Natal com os Weasley, ele se pergunta se o seu pai não teria sido o Príncipe. Observando o livro, ele vê que data de cinquenta anos atrás. Ele se entristece, pois seu pai ainda não frequentava a escola neste período. No quinto livro, quando Harry está na Penseira de Snape, ele vê seu pai e Snape terminarem seus N.O.M.s. Isso quer dizer que eles estavam no mesmo ano em Hogwarts. [Quando Harry primeiro especula que o livro pertenceu a Tiago Potter, supõe-se que o Príncipe foi dono do livro quando este ainda era novo. Mas, como descobrimos depois, estudantes pobres (como Snape) podem usar um fundo especial para alunos carentes de Hogwarts para comprarem livros baratos, usados. Então é bem provável que aquele livro já tinha uns dez anos quando Snape se titulou de O Príncipe Mestiço.]

Na página 425 da versão americana, diz, “’Ótimo comentário para o último jogo’, disse Rony para Luna enquanto ela pegava de volta a cebola verde, o cogumelo e a cama de gato”. Mas, dois parágrafos depois, ele diz “‘O que é isso, a propósito?’, ele acrescenta, segurando o objeto parecido com a cebola à altura dos olhos.” Ela já não havia pegado tudo de volta algumas linhas antes? [Apesar de Rony ter devolvido a Raiz-de-cuia não quer dizer que ele não a tenha apanhado novamente para perguntar do que se tratava. Tudo ainda estava fora da bolsa de Luna, então é muito possível que Rony tenha simplesmente ficado curioso e tenha guardado antes de perguntar a Luna sobre o que era.]


Harry Potter e as Relíquias da Morte

Erros
Alguns pequenos deslizes que podem ter passado despercebidos…

Continuidade: Próximo ao fim do capítulo trinta, diz-se que as únicas pessoas que restaram na Sala Precisa são Harry, Gina, a Sra. Weasley, Lupin, Fred, Jorge, Gui e Fleur. Porém, na próxima página, Percy (que havia entrado recentemente na sala) pede desculpas para o Sr. Weasley, mas este havia deixado a sala junto com os outros.

Continuidade: Quando Harry está assistindo as memórias de Snape, ele testemunha uma cena na plataforma 9 e meia com sua mãe e tia Petúnia, na qual Petúnia puxa a mão que estava sendo segurada por Lily. Então sua mão volta para Lily e ela a puxa novamente.

Continuidade: Quando Harry estupora Umbridge e Yaxley na sala do tribunal, ele “gira ao redor” para ver os dementadores se aproximarem da Sra. Cattermole. Mas Harry já estava encarando-a, posicionado atrás de Umbridge, Yaxley e Hermione.

Continuidade: Quando Harry fala para Grampo sobre a invasão ao Gringotes, Grampo estava com a Espada de Gryffindor em suas mãos. Quando Harry fica em pé e prestes a sair um momento depois, a espada está ao lado da cama de Grampo.

Correções
Aquelas dúvidas que os fãs sempre tiveram e sempre tomaram como erros da trama, são finalmente respondidas aqui.

No capítulo nove, após o confronto com os Comensais da Morte no pub, Hermione conta a Harry e Rony que ela nunca tinha executado um feitiço de memória antes. Já no capítulo seis ela explica a eles que lançou um feitiço de memória sobre seus pais para fazê-los esquecer tudo sobre ela e se mudarem para a Austrália, onde estariam a salvo. [De acordo com J.K. Rowling o feitiço que Hermione lançou em seus pais NÃO era um Feitiço da Memória. O encantamento usado alterou as memórias deles acerca dela e não as removeu completamente.]

Harry conta para Hermione que ele “dificilmente” abria o “História da Magia” desde que o havia comprado, mas na cena de abertura de “O Prisioneiro de Azkaban” ele está fazendo seu dever de casa exatamente com ele (e parece estar muito familiarizado com o texto). [“Dificilmente” é um termo muito relativo. Harry pode ter usado o livro no passado, mas, comparado a Hermione, que o conhece praticamente de cor, ele não está assim tão familiarizado com o texto. Harry simplesmente declara que não usou o livro absolutamente mais do que o necessário.]

No capítulo 36, chamado “A Falha no Plano”, Harry vê Carlinhos Weasley (da Ordem) alcançar Horácio Slughorn. Entretanto, na página oposta, Voldemort está duelando com outros membros da Ordem (McGonagall e Shacklebolt) e Slughorn é visto confrontando Voldemort junto com eles. Com quem Slughorn está lutando? [“Alcançar” significa “se aproximar apressadamente de (e chegar junto de)” (dicionário Merriam-Webster). Então Carlinhos deixou Slughorn para trás quando ambos encaminhavam-se para confrontar Voldemort.]

Dumbledore é atormentado pela ideia de ser o único responsável pela morte acidental de sua irmã quando ela tentou impedir o duelo entre Grindelwald, Aberforth e ele. Porém, há um feitiço citado e que é usado neste livro, e no anterior, que pode ser lançado de forma a revelar os últimos feitiços executados por uma varinha. [Se Dumbledore, em sua exaustão e luto, esqueceu-se do Priori Incantatem, este é um erro claro do personagem. Com o passar do tempo ele volta a lembrar, provavelmente usou a varinha várias vezes, desta forma o feitiço Priori não seria tão útil.]

Por duas vezes, ao final do livro, fica claro que Dumbledore derrotou Grindelwald em seu histórico duelo. Como isto pode ter acontecido se Grindelwald possuía (e era mestre da) Varinha das Varinhas naquele momento? [É inteiramente possível derrotar uma pessoa que possua a Varinha das Varinhas; sem sombra de dúvidas, é desta forma que o direito de posse É transferido! Tudo depende de QUEM está usando a Varinha, COMO ele a usa (seja de que forma for) e com quem ele está lutando. Se Grindelwald estava hesitante em usar todo o poder da varinha contra Dumbledore, Dumbledore sem dúvida seria poderoso o suficiente para ganhar a posse.]
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...